quarta-feira, 29 de abril de 2009

Rivalidade e surpresas.

Quando Deus deixa a história é feita,
Onde ele se esconde e ela espreita,
A mãe é a noite a entristecer,
O filho é grande ao entardecer.

A barca velha de livros e rochas,
Piano de cauda e teclas nossas,
Enigma escrito no teu meio seio,
Arcanjo meu que nunca veio.

Volta em ti e com rosto sério,
Aqui se constrói um breve império,
A seu dever veio ao mundo,
Com fim mistério foi ao fundo.

E se é possível amar a dois,
O breve agora e o outro depois,
Nem tudo é claro ou metediço,
A etimologia dos nomes e canivete suíço!

sábado, 18 de abril de 2009

No dia...

...em que as lâmpadas se acenderam em sentido, os comboios pararam em espinha, os carros voaram, as pessoas amarraram se ao cais, os cães deram voz à luta, as árvores deixaram as raízes e iniciaram a marcha do hino, as sombras abriram se, as motas encostaram se ao vento e desligaram motores, os pássaros deitaram se em camas de penas e a música fez se silenciosa.
No dia em que os traços na estrada apontaram noutra direcção, as televisões relataram com definição, os cigarros apagaram se, as cervejas deixaram de ser bebidas frescas, o cheiro do café tornou se perfume dos imortais, os deuses aplaudiram de pé e a lua revelou-se.
Onde os semáforos permaneceram no amarelo remitente, a cruz da farmácia definiu os segundos, nas casas iluminaram se as velas e os mortos vieram à rua...




...eu, dancei!


http://www.youtube.com/watch?v=ip1zsUIosoA



sexta-feira, 17 de abril de 2009

Música Urbana

Pum pum pum pum.
Bater dos pés, ritmar a música que oiço ao longe.
Em cima oiço risos na televisão da vizinha.
Vejo as gotas que caem da torneira da cozinha...plim plim plim. Resolvem compasso, o resto é o bater das mãos nas pernas, nos braços, nas próprias mãos, evito a cara, aí dói...
O relógio faz se ouvir, tic tac tic tac...ele hoje passa a violino.

Eles dormem, o descanso dos miúdos parece tão mais fácil que o nosso. Eles quando dormem, dormem mesmo.

O som da campainha na porta ao lado...o telefone toca ao mesmo tempo, são a corneta e a pandeireta a entrarem acção.

Dlim dlão...
Trim trim...

A voz, falta a voz!

-"Astrid o que é que estas a fazer?"
-"Hummm? Nada! Adormeci..."
-"No banco da cozinha?"

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Ataque do miocárdio

Não é amor, nem lei, nem guerra,
É músculo gordo feito em terra,
Fulgor escasso a entristecer,
É fogo fraco que ninguém quer.

Sendo incerto e derradeiro,
É barco isolado em nevoeiro,
Que peca tarde por procurar,
Que tem no início o acabar.

E no mistério do vento que ruge,
Numa dor que vive e surge,
Como relâmpago de certa idade,
Que ilumina a eternidade.

São dois irmãos com o mesmo nome,
Onde um fica e o outro some,
Ninguém sabe qual deles foi,
O que fica hoje é herói.

Assim a faca que o rompeu,
Como as mãos que Lhe entregamos,
Mais um Homem que não morreu,
Deus não aprova que partamos.

domingo, 15 de março de 2009

Não há finais felizes!


Estrada

Tem desenhos esta calçada,
Onde me encontro quase parada,
Meio em pé e mais sentada,
Onde me vejo mas não me encontro.

Tem linhas este passeio,
Onde me afasto e pouco planeio,
Meio de gatas e mais a meio,
Onde leio e acrescento um conto.

Tem linhas esta estrada,
Onde me desvio mais cansada,
Meio de costas mais deitada,
Onde me viro e nada apronto.

Tem buracos esta parede,
Onde me desgasto da fome e da sede,
Meio a correr mais na rede,
Onde acabo e ponho o ponto.

sexta-feira, 13 de março de 2009

Palco



Nem sempre!
Nem sempre o faço, mesmo que seja só para te contrariar!

Não quero que me esqueças, nem que me compares ao passado, que me trates como livro lido e atirado ao pó, deixado no tempo, não quero ser relógio de bolso, não quero ser uns teus sapatos fora de moda, não quero que me uses como aos cigarros, que aprecias por breves minutos e depois apagas como se não te tivesse dado prazer algum. Não quero ser um salmo, não quero ser uma epopeia, não quero ser história nem épica nem verdadeira. Não preciso que me expliques como a um infantil a aprender a cartilha, não preciso de cadernos às riscas para que não possa escrever torto, não quero que me vejas como a um país que nunca visitaste, não quero ser fotografia em album, nem slide em projector onde clicas para a frente e para trás. Não sei ser ar, nem água, sou fogo quando te beijo, e conheço a terra porque dela sou feita. Não quero ser um teu conto, nem um último ponto no teu texto.
Não quero ser final, nem peça teatral, não quero ser herói de acção em filmes de romance. Não entendo a mágoa, os pneus a deslizar nos carris, não quero ser quilómetros, nem o tic tac dos barómetros da música que não compões. Nem sempre me acredito quando digo o dito por não dito. Não quero ser a mão que me agride, nem o chão que pisas. Não quero ser carne para canhão, nem anão de circo, não quero ser fruto proibido, não quero ser imaginação.
Não quero ser ilusão, não quero dizer não...


shhhhhhiuuuuuuuuu!



"AQUI NÃO HÁ MAGIA!"

quinta-feira, 12 de março de 2009

Antes que seja tarde...




...Quero ser princesa num conto de fadas, quero ser bombeira e subir as escada, quero ser astronauta e pisar terreno marciano, beber a água sem o sabor dos canos, quero jogar ao prego na praia com os meus irmãos, quero ser futebolista e marcar 10 golos, quero ser arqueóloga e encontrar túmulos de ouro, quero ser fotógrafa em Matchu Picchu, quero ser espiã e arrasar com o KGB, quero voar sobre Florença, quero falar até de manhã com Leonardo D'avinci, quero pintar bigodes na MonaLisa e fugir pelo Louvre, quero amar-te até não conseguir mais.
Quero beber sumo de Zapote e comer côco arrancado no mesmo segundo, quero pilotar um Caça, quero me atirar do vulcão Kilahua e sentir o calor da sua lava, quero ir ao centro da terra e contar histórias a Júlio Verne, quero descobrir o tesouro de Monte Cristo, quero perder o medo de Tubarões, quero escrever um livro, quero ouvir Pavarotti no coliseu de Roma, quero cantar o flower duet com Maria Callas, quero o meu alpendre branco com uma cadeira de baloiço, quero a vista para o mar, onde possa dormir e descansar.
Quero mais, ou simplesmente te quero!

terça-feira, 10 de março de 2009

Vê o meu coração

Assim me aprofundo e vejo o meu outro eu,
Onde me guardo nos sonhos do mundo,
Largo me âncorada de tudo o que é meu,
Deixo me acordada num sono profundo.

Levo um copo de água fresca à fonte,
Perco me no vale onde procuro o monte,
Fecho me à chave do lado de fora,
Procuro o meu eu que não sei onde mora.

Assim me procuro para falar de mim,
Numa confissão inocente sem saber se é assim,
Porque dar me mais seria tirar me um tanto,
Tirar me o mínimo de um pouco seria um mar de pranto.

E assim ensanguentados seriam os meus olhos,
De um sangue fresco que me corre aos molhos,
Se assim o faço é porque Ele assim o diz,
Quem escreve assim ou é louca ou é feliz.

A quem de direito

Partilhar por partilhar, a maioria dos diálogos que escrevo no blog, não são mais que conversas perfeitamente disparatadas que tenho com a minha querida amiga e outros quantos, se bem que a maioria é sempre com a mesma, que tem o condão de dizer coisas perfeitamente extraordinárias!

"Mulher tu escreve um livro!!"

Depois é óbvio que exagero a coisa, apimento aqui, mexo bem, adiciono açúcar e uma pitada de sal e ponho a cozer! Ao fim de 1o minutos no forno, está pronto o disparate!
Visto que já lá vai um tempo que nada disso acontece:
Das duas uma, ou o meu forno se avariou, ou então a culpa para não ter havido diálogos estúpidos é porque ando a trabalhar que nem cão...cadela, vá...e não tenho tempo para dialogar com os meus mais que tudo!

Dear friend, nem imaginas o quanto lamento!

Lunatic

http://www.youtube.com/watch?v=MP0APvTSMMw



Aqui não há monstros, não existem sombras nem impressões digitais marcadas na minha pele, não há mais o teu cheiro deixado na minha roupa, nem o gosto da minha na tua boca, não há mais pingos de suor que me molharam a cama, não há mais alma que se me entranha.
Não há desejos ofegantes, meus e teus como havia antes, não há gritos de prazer, não há mais o que fazer, acabou-se a vontade, não há saudade, não há gritos de vitória, não há cicatriz tão inglória.
Acabaram se os sorrisos, os devaneios e juízos, não há abandono mais triste, que me doí e ainda persiste.
Não há mais vento, não há mais memória, acabou se o tempo, acabou se a história.

segunda-feira, 9 de março de 2009

Parabéns!!

A Barbie faz 50 anos. Até aqui nada de extraordinário, tendo em conta que há milhares de gente a fazer a mesma idade.
Agora, o interessante da coisa, é que a boneca não envelhece!
Imaginem as meninas que têm a mesma idade que a Barbie, aquelas que há 50 anos eram crianças e hoje...olham se ao espelho!!

Espelho-boneca, boneca-espelho, boneca-depressão, depressão-boneca...

E depois é claro, a única coisa que a boneca provoca a essas "meninas" é a vontade de uma operação plástica...giro!
A novidade desta história é que também a Barbie se vai renovar, também vai puxar as sobrancelhas para cima, botox na boca e bochechas da cara e rabo, lipo-aspiração à barriga, (já agora às mamas, acho o tamanho completamente desproporcional, se fosse real era corcunda), alongamento das pestanas e a sua pintura permanente, unhas de gel e extensões de cor variada!
O raio da boneca sempre foi um belo exemplo...está se a ver!

Dou graças ao Senhor por me ter dado a escolher entre a boneca e os "guelas"...

domingo, 8 de março de 2009

A contrapartida do amor.

Devo confessar que não apaguei o texto que me enviaste, não consigo, não quero.
Não me consigo libertar dessa tua história, das tuas comparações e imagino-te nesse papel e como gosto de imaginar esses cenários e tu neles, seja em Lisboa ou qualquer outra cidade por onde já passaste, e eu contigo, seguindo te, escondendo me atrás de árvores, postes, baixando me o mais possível para que não vejas que te sigo!
Mesmo sabendo que sofrias por outra...
Não apaguei a tua apresentação, nem as 100 cartas que trocámos, das idas e vindas de madrugada, às escondidas, com misto de emoção e medo, da aflição no nosso olhar, da vontade de dizer sim e com esforço dizer não, do querer e não puder, da vontade de estar mesmo sem o saber.
Como invejo esse teu único amor, por quem arrombaste portas, por quem lutaste contra tudo e todos, por quem entregaste esse teu coração que dizes ser pequeno. Não acredito nisso!!
Por quem riscaste paredes, por quem sofreste. E como sofres ainda só de ouvir a palavra "amo-te", mais ninguém o pode dizer, não a ti, não dessa maneira, nem que o sintas.
Não deixas que mais ninguém te diga que fica, que nunca se vai embora, que nunca te deixará, como fez a outra.

Eu não te deixo! Mesmo que não me queiras, eu não te deixo...

sábado, 7 de março de 2009

Bússola

Não vás por aí...

Olha que ainda te enganas, não é esse o caminho.
Aproveita e contorna as montanhas, andas mais mas sempre chegas lá e ainda vês os pássaros, os lobos e talvez me vejas.
Armas-te em alpinista, sem cordas, sem gesso, sem espigões?

Vais te magoar!

Não preciso dos jogos, das pressões, dos gritos e ilusões. Não quero que fales...shiuuuuu!

E hoje assim entro na realidade,
De uma falsa e pequena cara metade,
Misto de raças e infeliz mudo,
Hoje és minimo ontem eras tudo.

Só porque agora me sento e assim descansei,
Acordei de sono profundo e de nada me lembrei,
És morto defunto que não reencarnaste,
Como memória triste tenho me em meia haste.

Todo o começo simples aparece involuntário,
Sílaba simples com trato vário,
Como frase escrita na sombra da madrugada,
Confusão simples tão cheia de nada.

quarta-feira, 4 de março de 2009

Upssss!

Há diálogos em que realmente mais vale estar calada, como o de hoje, break das "meninas da Pedra Lua" (como nos chamam), pouco depois do almoço.

-"Ai a Anne agora e o Hitchcock la do escritório, ela encontra tudo!"
-"O Hitchcock? Então não é o Sherlock Holmes?"
-"Não e o Hitchcok..."
-"Humm, está bem, é só porque o Hitchcok fazia filmes de terror, o Sherlock é que era o detective e descobria tudo, mas isso sou eu a falar...vocês é que sabem!"
-"Ahh, pois é!"
-"já agora podem dar-me a alcunha de Michele Pfeifer, vá lá ver os meus cabelos Loiros, e outros atributos!"
-"Nãoo, tu por acaso és uma mistura de pocahontas e Ghandi!"
-"..........."
-"não concordas?"
-"Pocahontas ainda vá! Agora Ghandi?? Porquê Ghandi?"
-"porque és um espeto!"
-"Ah está bem!"

terça-feira, 3 de março de 2009

Homem

E assim foste apanhada na tua grandeza,
No mais breve de uma miserável surpresa,
Onde no inferno te encontras a meditar,
Num breve prenuncio de ausência de luar.

Escondes-te de todo o campo de visão,
Numa metáfora de prantos de solidão,
Onde só te queres sentir e sentar,
Onde procuras perder ou ganhar.

E vives triste sempre em casa,
Num medo fugaz de bater de asa,
Vives assim porque a tua vida é dura.
Assim elaboras a tua própria sepultura.

Isto porque a tua alma assim te diz,
Mais que o amor é a tua raiz,
Porque se mais são, mais se somem,
O ser se triste é ser-se homem.

segunda-feira, 2 de março de 2009

Começar de novo.

A saga do novo serviço...
Apresentações, a casa, onde fica o quê, desde as folhas para a impressora até à última pedra!

As pedras, são 57659758749848747 milhões, e eu vou ter de decorar..... TODAS!!
Coisa fácil...se bem que hoje foi só uma "pequena" injecção de informação.
Diga se de passagem que hoje comparo o meu cérebro a salsichas com couve lombarda!
Misto de coisa boa com mau aspecto!

-"Bem, então é assim, este é o teu escritório, esta é a tua secretária, este é o teu computador, estas são as tuas 40 vendedoras, estas são as 700 pastas com informações e estas são as 98659669899 pedras que vais ter de conhecer! Mas não stresses, eu estou há 4 meses e ainda não sei 1/4!"
-"1/4?? O que eu não dava por um quarto!! Ainda agora comecei e já se me está a dar cansaço!"
-"Não, isto é fácil...com o tempo habituas-te!"
-"Ai o tempo...o que eu não dava para ter 5 anos outra vez!"
-"Amanhã vem a 1ª vendedora, que por acaso é uma boa praxe, porque é das que leva mais peças! Estás a ver aquele dossier? É só dela...é coisa para demorar um dia!"

Uma pequena confidência: Saltaram me os olhos das órbitas!

-"Então, aquele dossier é só dela, certo, e o dossier das outras 39?"
-"estão ali..."
-"Auuu..."
-"Mas não te preocupes que estamos aqui para isso!"
-"Sim, obrigada!"
-"Olha, nesta caixa estão os carregadores dos telemoveis!"
-"Telemoveis, sim, quantos são?"
-"4... mais o fixo!"
-"4?? Não basta 1? Tipo toca e eu atendo UM, e depois toca o outro e eu também atendo e depois troco me toda e cruzo conversas e mando o que é do Porto para a China e o que é da China para o Freixo de Espada a Cinta!???"
-"Fazes como eu, escrevo tudo num papel!"

Passada a informação essencial, mãos-a-obra, tocam 2 téléles ao mesmo tempo.

"Agora é que eu quero ver!"

Atende e fala e escreve e risca e sua e não almoça e não bebe café e fica branca!

-"Precisas de ajuda?"
-"...."
-"Ok..."
-"Viste onde é que eu escrevi o que a do Porto me pediu?"
-"Vi pois, mandas-te fora para o caixote dos recicláveis!"

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

A despedida...

...vá, pronto, está bem...dói um bocadinho!

Go!

(último dia)


Um ofício de intensidade aprendiz, de onde passei de ignorante a feliz, e que durasse ardentemente de quem tem fogo aceso e é recipiente da água num corpo.
E que seja o fervor de uma a metamorfose da matéria, que não se separa da inatingível busca que nos faz andar e estar de pé expostos sempre à face do Universo.
Que a palavra fosse sempre a alegria num espaço em que ela própria existe.
Do outro lado de nós e do outro lado deles e de tão idêntica a si.
Que o dizer e o ser, que a não-distância a separe desse rosto que é o rosto do ar e de nós próprios e do nosso trabalho!




Thank you Foxy!



quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Soundtrack



Patas portuguesas

Ainda bem que se mudou o tema do notíciario.
Agora é bem mais interessante!
O cão dos Obama...

Como não há mais nada para fazer, agora só se fala no bicho que vai andar a mijar os "cantos" da sala oval!
Que giro...E como se calhar o caniche que vai andar a acompanhar a família presidencial americana é de raça portuguesa, andam todos a galar um cão que até à data pouco ou nada se tinha ouvido. E mais, os Obama vão escolher um bichinhio que esteja abandonado por isso toca a abrir as portas de casa, para ver se têm sorte! É que eles também vêm a Portugal pavonear-se pelas ruas a ver se encontram um, assim bem sujinho, já a puxar para o coxo e para a carraça, para as "piquenas" andarem a rebolar à vontadinha.

Se eu fosse cão não ia...!

A primeira dama diz que vai andar pelos canis à procura do tal, a minha questão é como é que ela tem tempo? Não era mais fácil os próprios canis informarem a casa branca de que nesse haveria o bobby pretendido?
E depois juntavam os cães todos e a Michele ia lá escolher. Com sorte gostava de todos e tornava-se uma "big happy family"! Olha eu gostava...

Agora tudo isto tem um senão, que as pessoas não pensam!
E se o cão resolve dar uma trinca na bochecha da criança??

"Ahh só aconteceu porque o cão é português!"

Pois! Aí é ver tudo a fugir com o rabo à seringa...e com sorte ainda nos sobem os impostos, passam nos uma coima e acabam nos com a nossa raça!

Vá la ver...

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Hora H

E assim te fito pousada sobre os cotovelos,
Delineadas as curvas e pintados os cabelos,
Vista de um ângulo obtuso e disposto,
Com a mão aberta onde repousas o rosto.

O teu corpo justo, breve e recuado,
Olhas com a atenção de um rei cansado,
Atinges o meu corpo de forma fatal,
Namoras o tempo de quem não te quer mal.

Compras a minha desgraça com a tua glória,
Invocas o espaço de que há memória,
Negas a presença daquilo que te basta,
Com coração pequeno mas a alma vasta.

Assim como o minuto que passa involuntário,
Se assim me assiste então eu saio,
De uma história breve e de outrora,
Acabou se o tempo, acabou se a hora.

Mind your own business and...


sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Tu e a Muralha da China

Já não sei o que te diga ou o que queres que faça, não sei como chegar a ti, já me perdi ao tentar procurar-te.
Já virei infinitas vezes à direita, percorri quilómetros às escuras, apalpando estradas e caminhos esburacados, já me cortei em ramos e arames farpados, já subi árvores, desci escadas, dei 100 voltas à cidade, percorri vilas e aldeias, ultrapassei o limite de velocidade entre ruas habitadas.

Porque não te encontro?

Já dormi em bancos de jardim, pedi à Lua que me guiasse, a Deus que me protegesse, ao Pai que me iluminasse.
Leio a minha sina que em nada me representa, vejo o teu reflexo em qualquer sombra, alimento me das próprias unhas, da minha própria carne.
Já pedi pés emprestados, substitui rótulas, roubei sapatos de estendais, casacos a mendigos, aqueci me com folhas do meu livro, ganhei rugas e olheiras de insistência, mas mesmo assim...
Não te encontro!

I'll...


quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Estou de abalada para...


...aqui!

Um poema qualquer

Tenho as asas cansadas de bater,
Os meus olhos cegos de te olhar,
Mãos pálidas e em punho por poder,
Os braços caídos por nadar.

Traço gestos moribundos no mar,
Deixo pegadas cravadas no chão,
Liberto-me de movimentos pelo ar,
Entrego-me à terra em união.

Longe de ti são íngremes caminhos,
Não são pedras nem são rosas,
Não são casas, cabanas ou ninhos,
São caminhadas solitárias e silenciosas.

És peso de ouro na consciência,
De carne humana dilacerada,
És pura febre de efervescência,
Em noite clara e deslumbrada.

Charlie Chaplin

“Cada pessoa que passa na nossa vida, passa sozinha, porque cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra. Cada pessoa que passa pela nossa vida passa sozinha, não nos deixa só, porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova de que as pessoas não se encontram por acaso.”



http://www.youtube.com/watch?v=b67uA_TZVVM

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Notícias de hoje.

-Goodyear pretende despedir 5 mil trabalhadores este ano.
-É definitivamente um "bom ano" para esses 5 mil! Sem dúvida!

-Madeira chama "cobarde" a Sócrates.
-Estes são os tais que descobriram a pólvora!

-Padre e médico em rede pedófila.
-Percebem agora o meu descrédito em relação a essas duas entidades?
É por estas e por outras, metam-nos a jeito metam...

-BCP admite emitir dívida perpétua.
-Saquem já do guitoooooooooooooooooooooooo!!!

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Música de hoje.

http://www.youtube.com/watch?v=JooYvAvqx08

Kilimanjaro

Eu sonhei...



...um dia correr pelas tuas costas, de me desengonçar dos teus inúmeros braços, de te olhar de cima para baixo.
De um dia raspar com os meus joelhos na tua pedra, de tremer em soluços só de ver que estou a chegar perto, de ver que por dentro ferves, entras em ebulição, formas bolhas de lava e um bafo de calor e tesão.
Já sonhei contigo tantas vezes, e cada vez que sonho mais certeza tenho de que fomos um.
De que nos transformamos em coisa alguma, adoptados por um qualquer deus sem importância postos de lado por não sermos da mesma massa.
Como me imagino deitada em ti a conhecer as constelações, como a tua preferida Cassiopeia.
Apontas-me os buracos negros no céu, dizes-me que ali foi onde esse teu deus se dividiu por zero, onde Camelopardus, lacerta e lupus te contemplam.
Sonho que sou uma estrela, que de dia te vejo lindo por onde o tempo não passa, de noite ilumino-me para que me encontres e me dês o teu nome...

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Os poemas não vendem

E se te sentasses à minha beira,
Se te encostasses e baloiçasses a minha cadeira,
Onde Deus nunca foi santo ou herói,
Onde aqui domina o que se constrói.

E se te deitasses na minha cama,
Se te levantasses como quem ama,
Onde a Senhora nunca se deitou,
Onde de o fruto nunca provou.

Sonhava anónimo e nunca visto,
De profeta incompreendido como Jesus Cristo,
Confuso e denso como o universo,
Perdido nas estrelas, vago e disperso.

Se me embalasses em pequeno o berço,
Ao Senhor chamava e assim o pareço,
Como do copo bebido o santo graal,
Filho do mundo e de um comum mortal.

De tudo que tem grandeza e cor,
De tudo um pouco e mais amor,
Embalas-me numa mão perdida de desejo,
Como se caminhasse sobre as águas do Tejo.

Indecisão a quanto obrigas!

Mais uma saga para resolver. Mais uma combinação de gajas que acham que não têm mais nada para fazer!
Agora querem ir passar um fim de semana grande algures! E que mais se pode esperar de 8 galinhas aos gritos?

-"Vá meninas para onde é que vamos?"
-"Aí, eu ia para Madrid ou Barcelona!"
-"Eu prefiro Formentera!"
-"E Brazil?? Brazil é que era!"
-"Olha esta já fritou!! Brazil por 3 dias é só ir e voltar!"
-"E se fossemos para o sul de Espanha? Praia..."
-"Bem por mim qualquer sitio dá, desde que não tenha de mexer um dedo..."
-"Porque é que não vamos para o Vila Galé de Tavira?"
-"Outra que fritou! Não vou pagar o cú e três tostões para ir para Tavira...lamento!"
-"Que mal tem Tavira?"
-"Mal nenhum..mas se vou gastar uma pipa de massa para vos aturar, ao menos que no minimo, fale espanhol! Vai ser cá uma canseira do português!"
-"Mas olha que Tavira é bem giro!"
-"Ai ai ai ai ai! Eu sei filha eu conheço, mas não!"
-"Eu continuo a dizer que Brazil era uma boa!"
-"Olha tu cala-te com o Brazil! Tu queres ver a gaja!!"
-Vá la meninas, estamos aqui à meia hora e não decidimos nada!"
-"E assim vai continuar! A unica hipótese que até agora me pareceu viável foi Formentera, e Barça vá, mas para os lados da praia!"
-"Então ficam essas duas...boa, parece-me bem! E Quando?!"
-"Essa discussão fica para outro dia! Tou com a sensação de que tenho campanários na cabeça! Acho que termos chegado a duas possíveis hipóteses de escolha do local já foi muito bom para um dia!"
-"Oh mas assim não decidimos nada!"
-"Mails, os mails não me deixam com dor de cabeça! I love internet!"

Hey you...




Yes, uncle Sam!!


I'm in love...

...with a star.



http://www.youtube.com/watch?v=LSSIlx9hiu8

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Resolvi escrever um titulo muito grande, só para vos dizer que vou mudar...

...de serviço!






(Xau, xau chapa)

Dona

Pode ser da pancada, da vida que levaste, pode ser da falta de muita coisa e muita coisa em excesso ou mesmo falta de nada.
Pode ser da juventude perdida, das más companhias, do sítio onde moraste.
Até pode ser falta de paternidade, falta de maternidade, do trabalho ardo desde os 12.
Pode começar pelas relações falhadas, fracassadas à primeira, com os mesmos berros que deste na última.

De tanto pode ser!

Pode ser da doença, da falta de crença, misto de fé ou descrédito.
Pode ser mesmo muito azar ou falta de sorte!
Pode ser dos homens que te distratam, abusam, ferem-te com palavras amargas de quem não sabe.
Pode ser apenas porque és filha de quem és, do nada e do oco, de tudo e de tudo um pouco.
Mas mesmo assim andas, continuas e amas, procrias às ninhadas, de 10 pais diferentes.
Vives de 3 empregos, tens os braços queimados de fritar, cheiro de peixe da madrugada e olhos caçados da noitada... Esses teus 3!
Mesmo assim és exemplo de coragem, de quem nada tem e de que por tudo sofre, de quem de todos apanha, a quem ninguém ama.

Pode mesmo ser da pancada...


Mas mesmo assim, uma mulher não chora!

Sétimo céu

Há dias assim, tens 30 mil programas para fazer, e vais aniquilando uns quantos para te desdobrares em 4 e não em 50!

Como gostava de ter o poder da multiplicação, mas esta gente está mais preocupada em inventar aspiradores em vez de máquinas do tempo e multiplicação de células. Opções vá!
Ontem, tinha um jantar, uma exposição, concerto, teatro, cinema e ainda me engataram para babysiter. Esse foi logo de carrinho por exclusão de partes.
O jantar, bem, isso janto todos os dias por isso posso sempre adiar um ou dois dias.
A exposição, que não fui e mais valia que tivesse ido, vai durar mais uns dias, por isso vou hoje!
O cinema é a mesma coisa, fica cá uma temporada por isso, tranquilamente vou noutro dia.
Sobrou-me o teatro, uma peça que dura 3h e por isso começava as 21h30. Nem deu para jantar porque a ideia era ir mais cedo para a bebida da praxe.
Dito e feito, chegamos às 21h em ponto, nem mais nem menos, as três muito queridas como se tivesses combinado parar o carro em "filinha pirilau".

(mensagem às 21h01)

"Miúda, só temos vocês as 3 a assistirem à peça por isso não vai haver hoje! Nem sei o que te diga!"

Ora vá lá ver!

Pois...nada, não se pode dizer mesmo nada!
Portugal é isto, ninguém vai ao teatro ver uma peça que pelo que sei é excelente, os bilhetes são de graça e nem assim a merda da sala enche. É pura desmotivação para qualquer profissional da área, ir trabalhar e não ter uma alma a assistir.
Posto isto, encontramos-nos à porta, actores, encenadores, produtores, etc., para meia dúzia de troca de palavras e risada total! Porque sim, valha nos o bom humor...

Ainda fomos convidadas a estar com eles na sala de actores, onde eles improvisariam umas quantas cenas, beber cervejinhas, etc.!
Até que nos pareceu aliciante, mas depois para ver a peça talvez perdesse a graça!
Agradecido o gesto, fomos jantar com a sensação de dever cumprido e com a promessa de lá voltar!

Meus caros, sugiro vivamente a que vão ver a peça, quanto mais não seja pela extrema simpatia de toda a equipa de teatro que realiza e nos dá a conhecer "O sétimo céu".

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

*





*Lamentamos o sucedido, mas de momento dedico me a outras artes.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Morte anunciada

10h da manhã, 1998

Encontro te no comboio, já lá estavas quando entrei na terceira paragem, na penúltima carruagem, como faço todos os dias.
Os meus joelhos cederam, as mãos tremeram como varas verdes, a minha boca secou e engoli a falta de ar assim que os nossos olhares se cruzaram.

Havia apenas um lugar vago na carruagem e era o que estava ao teu lado.

Sento me? Não me sento, não tenho coragem...

Deixei me ficar de pé, encostada a uma das portas com vista para ti, nem o mar é tão bonito, nem o mar se compara aos teus olhos.
A viagem que um dia se tornara monótona, nesse dia tornou-se na viagem da minha vida, como se tivesse descoberto o caminho para o centro da terra, ou o segredo para chegar ao céu sem passar pela casa de partida.

Onde será que ele vai sair? Espero que seja na última, por favor que seja na última!

Cada vez que aquele comboio parava eu rezava para que ali te mantivesses, sentado, a olhar, a contemplar o que os teus olhos te ofereciam, e também eu estava incluída nessa geometria.

Vou me sentar ali!

...


Porque é que eu não me sentei?
Porque é que nunca mais te vi??




segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Dança da lamentação

http://www.youtube.com/watch?v=RnwZoIHrfAY



Tu que sacodes a terra inteira,
Que danças no susto da escuridão,
Formas sombras decompostas de poeira,
Elaboras passos majestosos de união.

Na floresta onde clareia a tua fogueira,
Lamentas a morte de mais um marinheiro,
Inventas coreografias de uma maneira,
Choras a ida de quem foi primeiro.

Nas duas mãos o acto e um destino,
Oferecendo a dança aos céus,
Num gesto trémulo e divino,
De quem deixa esvoaçar os véus.

Subitamente sobes estas encostas,
Onde na praia vês ao longe sepulto,
Uma nau velha de talhas expostas,
E assim esqueces moribundo vulto.


Da obra que assim nos mostras...

Bourne

Estou ESTOIRADA!!

Ontem Domingo, dia de relax em casa a ver um filme, um daqueles que já tinha visto mas nunca com olhos de ver, e digo, estou cansada de ver o homem.

Ele correu que nem desalmado, atirou-se de uma ponte para cima dum barco em andamento, no qual deu um jeitinho ao pé, e por isso o resto do filme foi -lo a correr e a coxear.
Ele levou um tiro no ombro, e mesmo coxo e de bala no corpo, ainda foi capaz de fugir a 120 km hora pelas ruas de Moscovo e a levar "pau" de todos os lados, foi contra camiões, jeeps e muros, andou em marcha atrás por túneis, e mesmo assim safou-se sem uma pinga de suor, pois é óbvio, quem estava a suar era eu!

Ele consegue o que mais ninguém consegue, que é perceber os horários dos metros e as linhas dos mesmos em 5 segundos e enquanto corre! É capaz de desinfectar o buraco de bala, com uma garrafa de vodka e um par de peúgas, e isto tudo a correr e sem matar ninguém!
Depois, esteve em Paris, Moscovo, Berlim, Nova York, e sei lá mais o quê, em 2 horas de filme, sem dormir, e como já disse, depois de correr, levar um tiro e andar a brincar aos carrinhos de choque, tudo porque os senhores da Europa moderna já têm TGV!

Somos completamente atrasados mentais!

Como senão bastasse, o rapaz era perseguido por um crime que não cometeu, ou melhor cometeu mas sem culpa, mas que só se descobre no fim.
E depois lá lhe pedem desculpa pelo sucedido, ao qual ele responde:
-"Pam, vai descançar, estás com um ar estoirado!"

E ele é que andou a correr, levar tiros, saltar de pontes, cair ao rio, ver a namorada morrer, dar a volta ao mundo em 2 horas, andar ao estalo com o inimigo várias vezes, arrombar portas, pedir desculpa à filha dos assassinados, sem nunca dormir e sem nunca comer sequer uma sandocha....



Também quero!!

(É que só assim é que tenho motivos para estar cansada)



domingo, 8 de fevereiro de 2009

No name.

Lembro me bem como te conheci, do que tinhas vestido nessa noite, do teu cabelo e do cheiro que senti quando nos cruzamos pela primeira vez.
De como os nossos olhares se fixaram um num outro, de como percebeste a minha ausência quando fugi ao bater das 05 horas.
Da surpresa que foi o teu contacto no dia seguinte, das perguntas e respostas em modo de apresentação. Até porque tudo isto aconteceu tão depressa que nem perguntei o teu nome, nem de onde eras, de onde vinhas e de onde apareceste e porquê só agora?
Esse mistério perseguiu-me nas horas seguintes, sonhei contigo nessa noite, acordei convicta que te ia encontrar outra vez, e que era agora.

-"Quem és tu?"
-"Eu? Queres saber o meu nome ou de que massa sou feito?"
-"Não me respondas com uma pergunta, diz me só quem és tu? E podes começar pelo nome."
-"Digo te de onde venho, não saberes o meu nome torna as coisas bem mais misteriosas, não?"
-"Mas como te chamo se quiser chamar por ti? Como pergunto por ti se não tenho um nome?"
-"Encontras...chamas! Tu sabes como me encontrar, tu sabe-lo bem! "


Falaste-me de onde vinhas, onde vivias, contaste-me histórias das tuas viagens, mostraste me as tuas músicas preferidas, resumiste me o teu livro preferido, confidenciaste me o teu maior segredo, que ainda hoje o relembro com todas as pontuações, as desilusões amorosas e do medo que tinhas em apaixonar-te (Eu sei que tu tens é medo de sofrer).
Vivemos em diálogo intensamente, às 3, 4, 5, 6, 7 horas...
Mas nunca me disses-te o teu nome...
O mistério a que tanto te propunhas acabou por me ajudar mais do que imaginas, as coisas sem nome não se dão importância, são facilmente esquecidas porque nunca foram identificadas. O mistério tornou-se monotonia na investigação e que logo se tornou no cansaço da busca por uma coisa tão simples.
Saio com a mesma simplicidade com que entrei, sem conhecimento de causa, sem justificações.


Hoje aprendi e para a próxima já sei, não pergunto como te chamas!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Da minha janela

Como te abres para mim no fim,
Como me fazes sentir o teu respirar,
Soltas-te numa liquidez insólita e singular,
Só tu me fazes sentir assim.

Guardas-te à noite muito devagarinho,
Silencias-te num mundo verde vizinho,
Como se de escudo de batalha te tratasses,
Como se por obrigação de guerra te ficasses.

Mas chegada a hora de encerrar,
Ficas congelada a olhar para o mar,
Embalada no cheiro da outra ondulação,
Numa força conjunta de consagração.

E assim da rotina que se te prometeu,
Despedes-te numa fúria louca que te deu,
Fechas-te em copas como flor de Lis,
Beijas o coração em papel vermelho que te fiz.

Galinheiro.

Ontem, dia de mais uma Tertúlia ( a 2749):

Número de Senhoras : 6
Número de meninas: 1
Tema : Bebes, fraldas, cocó, varicela, pequenez, recém-nascidos...(só para variar a coisa).


-"Aí acho que o meu filho é anão!"
-"Mais filhos só de cesariana!"
-"A minha está há 15 dias com varicela!"
-"A Vieira não veio porque não dorme há 5 noites...tem a pequena doente!"
-"É impossível ter uma carreira profissional e filhos ao mesmo tempo!"
-"Eu? o 2º? nem morta!"
-"Isto só com uma empregada!"
-"Não preciso de ginástica porque passo a vida a correr atrás do puto!"
-"Está impossível...só faz birras agora!
-"Coitadas destas duas, não têm filhos e estão pra'qui a ouvir-nos!"




(Muito obrigada pela atençãozinha, mas eu definitivamente vou coser o pipi!!)

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Hoje...

...estou com os azeites!


Farta de chuva,
Farta de frio,
Farta de trânsito,
Mais a p*** que o pariu!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

As cinco "que já lá vão".

Aposto que toda a gaja tem uma grupeta de 5!
As cinco que antes saiam sempre juntas à noite, que tinham segredinhos, que se preferiam aos namorados, que cabiam num só carro e o resto que apanhasse um táxi, que até as bebedeiras eram conjuntas e por conseguinte as idas à casa de banho, trocávamos roupas, bikinis, cigarros, camas, era tudo nosso! Até musica tínhamos, e acho que hoje é a única coisa que se mantém!

Depois, a precoce apaixona-se e passado 2 anos casa-se, passado 2 tem a primeira filha e hoje já tem três e continua com o mesmo gajo...(amoroso, adoro) vá la ver!

A pulga apaixona-se, namora com o tipo (que até é um grande amigo aqui da Je) durante 8 anos, casa-se e hoje tem uma filha que é a cara escarrapachada da mãe!

A maior (mais alta diga-se), apaixona-se, casa-se com um rapaz muito porreiro, hoje tem três filhos, bonitos por sinal!

A Loira, (a bonita da familia) essa maluca, não sei o que faz, nem onde, nem com quem...só sei que continua a fumar que nem um cavalo!

E finalmente eu...que não mudei um bocadinho. O tempo por aqui não passa! Continuo a cantar a "nossa" música aos altos berros, como da primeira vez! Sou infantil que se farta...mas não me chateia nada!!

-"Titi olha a música! Que saudades!!!"
-"O que é que tem a música?"

-"Estás parva...é a nossa música!"
-"Nossa? Nossa de quem?"
-"Ohh, estás a gozar?"
-"Estou pois...dá cá um abracinho! O Que será feito das outras três!?..."

Fenómeno Milus Cyrus.

É tipo Floribela americana, esta!! As diferenças são poucas, mas existem.
A Hanna Montana tem 14 anos, a Floribela tem 20 (praí), a Hanna Montana tem o apoio do papá, já a tuga foi lançada aos leões sozinha, a Hanna tem a maior empresa de marketing americana por traz, a Floribela tinha a Teresa Guilherme, a Hanna canta e canta mesmo, a Floribela chora!

Postas as diferenças, poucas como disse, mas significantes, a minha questão é; O que é que leva a esta gente a gastar milhões com uma criança que canta e dança!? Eu também canto, e se me pedirem muito também danço...até faço o moon-walk!

Depois o esperto do pai da Milus, que já há 2 décadas que canta e nunca conseguiu nada, agora à pala da filha está podre de rico e ainda se promove mais as suas musiquinhas Country!
O extraordinário é que é ele que escreve as letras e compõe as musicas para a filha, mas ela tem sucesso, ele que é o autor, nicles! E canta bem, só que na volta escolheu a faixa etária errada...

Resumindo, tanto o pai como a filha, daqui para a frente, podem-se dedicar às Barbies!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Eu sabia...

...que as galochas que vi na montra, me iam dar jeito!!



(É óbvio que não comprei...estúpida!)

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Tela




Tenho pena de ti. Como sofres nas minhas mãos, aos meus pés.
Chegas de longe, com pele rugosa para que te prendam, deixas-te usar como uma mulher de cama incerta, vadia da noite, companheira de after-hours.
Deixas que te abusem, sem te queixares, sem opinares. És mulher do mundo mas única, em ti nasce a criação de outro vagabundo, e tornas um principiante num ídolo de multidões.

Chegas virgem e imaculada,
Sem qualquer marca de estrada,
Sem vincos ou rachas à cintura,
Imagem breve que nas minhas mãos não perdura,
Descarrego todos os sentimentos e sons,
Maravilho-me com a tua cor e ternura,
Fixo-me na tua imaginação e nos meus dons.

Encho-te de cor e linhas,
Invento formas e adivinhas,
Misturo tintas na criação,
Desgasto-me em ti...

Mas tu, aos meus olhos não!

Vira o disco e toca o mesmo.

Mais uma semana a recuperar do fim de semana, ou melhor, de sábado, foi cá uma estafadeira...

-"Então o que fizeste no fim de semana?"
-"Sexta dormi, Sábado fiz a faxina das 11h às 15h! Ainda estou a bater mal...4 horas a limpar 35 metros quadrados...só pode ser doença isto...bem... à noite jantar em Lisboa e depois Lollipop, que só o nome me irrita! Mas foi giro! E tu?"
-"Nada...quinei!"
-"Quê o fim de semana todo? Nada?"
-"Sim, nadinha! Mas e tu, Sábado ficaste a dormir em Lisboa ou vieste a guiar com os copos?"
-"Ah não, trouxeram-me...a parte mais chata foi chegar a casa e não ter luz...sem luz e com os copos..."
-"Está bem, mas foste dormir não?"
-"Fui, mas antes tive de ir beber um copo de leite com um brufen, só que deixei cair o raio do comprimido, e quando me levantei dei um cacetadão na prateleira...bem foi da maneira que se fez luz! Estou cá com um galo! E o dia seguinte?? Não estás a perceber...levantei-me bêbada ainda, olhei me ao espelho e disse:
"Lamentável Titi, o que é isto??...desgraça!"!"
-"E hoje? Nem te aguentaste?"
-"Aguentei, aguentei-me à bomboca. Mas às 22h estou na cama, tenho de descansar! Tu não estas a perceber o meu estado hoje...pijama ao contrário, parecia que estava com Rasta, olheiras até ao joelhos, via me a dobrar, esquece!"
-"Ahahahahaha..."
-"Ri-te, ri-te...vai lá vai, ainda estou cá com um camadão! A continuar assim, amanhã não posso ir trabalhar!"
-"Porquê?"
-"Então se me mandarem parar...vou presa!
Ahh é verdade, já mandei mais um mail para um contacto que me deram!"
-"Uii desta vez é para o Irão não?? Só escolhes países com tráfico de mulheres!"
-"Aiiiiiii...."

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Céu

Quero chegar à árvore branca, subo de ramo em ramo na ânsia de o conseguir, ali onde o limite se atinge, onde não existe dor, onde cada um carrega a sua própria água, carrega o que consegue.
Quero ver o mundo do topo, sentir a brisa que me adormece, que me alenta e aquece.

E assim, subo mais um ramo, um pé depois do outro, como se escalasse o Everest, sem cordas de segurança, sem rede de apoio, de pés descalços, com a esperança que não se esquece.
A subida é imensa, folhagem densa, de troncos e flores que me arranham e me marcam a pele, a sua marca em mim, como cortes de faca.

Passados os anos, os ramos parecem os mesmos, mas mesmo assim continuo a subir, como quando era criança, em que uma pequena árvore me deliciava as brincadeiras.
Hoje, continuo a caminhada, mais velha e cansada, a brincadeira tornou-se função, numa razão sem aparência, que pode ser decadência ou pura ilusão.

E assim, chegada ao topo, muito tudo ou muito pouco, os meus dedos passam as nuvens e tocam no céu. O meu cabelo parece que não cresceu, nem o fruto não se deu.
Então eu...fecho os olhos e imagino, os pássaros a caminho, o elefante pequenino, ao de longe o moinho e tu sentado sozinho.

A minha escalada é à minha árvore branca, ramo a ramo, pé ante pé, onde não há dor!

Decadência total.

Ora então, mais uma notícia maravilhosa!

-"Jovem rapariga vende virgindade para pagar os estudos"

Nem sei por onde começar! Que até fiquei nervosa...

-"Mãe, pai...já arranjei guito para o mestrado em família e aconselhamento marital!"
-"Que bom filha, como? Como conseguiste?"
-"Fácil...vendi o Cu!!"*
-"Ahh, vês querido, que esperta é a nossa filha! Sai tanto a mim, credo!!"
-"Sim, e à mana...mas eu estou a ver se lhe bato o recorde e em vez de 3 semanas de prostituição, consigo pagar o mestrado em 2 semanas!"
-"Sim filha, boa sorte! Força nisso querida!"

Bem...nos tempos de hoje, isto não é normal!

(Não me refiro a vender o corpo por troca de algum, que isso já se faz desde a pré- história.)

Agora Virgem?? Aos 22 anos? Mas de onde é que apareceu tão pudica personagem? Peça única, raridade completa! Não façam mal à menina...seus malandros!


*Mil perdões pelo palavreado


Queixas.

Hoje acordei com um espírito crítico.
Tento manter-me informada, o mais possível, sobre o que se passa no mundo, e chego à conclusão que esta gente só me dá vómitos.

Para além da crise, que existe mais porque não se fala noutra coisa, agora começa-se a descobrir os podres dos que supostamente gerem os seus respectivos países.

Não querendo ser hipócrita, a crise existe há 2 décadas, mas estes idiotas, os de hoje, conseguiram fazer o impossível...piora-la!

Culpa de quem?
De todos, na minha modesta opinião.

Ao entender o que se passa, só me faz lembrar as conversas de meninos em idade do armário:

-"A minha pilinha é maior que a tua!"
-"Ahh então mostra lá!"

Depois, em vez de estarem preocupados em resolver a merda que fizeram, dão prioridade em multar com uma coima daquelas, e mais 24 meses de inibição de de conduzir, um senhor com 77 anos, que como é óbvio, entrou na auto-estrada em sentido contrário. E muito provavelmente, é um senhor que não tem onde cair morto, muito menos ter dinheiro para ir ao oftalmologista, e por conseguinte, conseguir ver onde raio é a entrada!

Se tem culpa?
Nenhuma, porque a verdade é que até as estradas estão mal feitas e indicadas!
A multa devia era ser passada ao estado para eles verem o que é bom para a tosse.

A minha lamentação, hoje, é só uma:

Que pena que não nasci em Marte!

Quasimodo!

Hoje lembrei me de ti, e ao lembrar-me, lembrei me desta música.
Não bate a bota com a perdigota, eu sei...mas foi disto que me lembrei!

http://www.youtube.com/watch?v=oT03lOLYURk

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Poema "não sei quantos"

Saio porta fora por um caminho qualquer,
Vejo à janela uma silhueta de mulher,
Vagueio sozinho numa noite nua e crua,
Coroa de espinhos que me apazigua,

Sentado no escuro de um homem sem ver,
Escondido do dia sem nada a perder,
Perfume invadido de uma qualquer feiticeira,
inundando me os poros numa brutalidade maneira.

Procuro à noite por um sinal do destino,
Não o encontro neste mundo injusto e pequenino,
Silhueta que me mata sem direito de aposta,
E assim me ajoelho à procura de resposta.

Mas ao ver-te com olhos molhados de água,
Invasão de privacidade com sensação de mágoa,
Consolo te em meus braços como raiz em terra,
Amamos-nos num tremor de quem nunca erra.



E assim ao ver-te...

Notícias de hoje III.

-Desemprego mundial pode chegar aos 51 milhões em 2009.

-Bem... com uma notícia destas e um dia destes, acho que vou até casa enforcar-me com umas cuecas fio dental!!


-Homens ricos dão mais prazer às mulheres.

-Ora aí está o que por tanto as mulheres esperavam! Os homens ricos podem ir à Corporacion Dermostética, os pobres não?? É isso?


-Facebook ganha ao Myspace a dobrar!

-V-I-C-I-A-D-O-S! Eu jogo pelas duas equipas! Há que haver igualdade entre os géneros!


-Fraude no valor de 450 milhões na bolsa de Londres/ Rainha Isabel II volta a estudar.

-Como é óbvio, a senhora vai ter de se aplicar na economia. Senão é mais um paisito que abre falência total. E nós não queremos isso! Queremos todos ver o "Gui" com a Coroa na cabeça!

Tico e Teco

Esta manhã li que um neurónio, armazena até um minuto de memória.

Ora então, será que isso é para me fazer sentir burra?

É que por acaso eu não me lembro do que almocei ontem!




terça-feira, 27 de janeiro de 2009

A água não tem memória

Lembras-te da primeira vez que nos vimos?

Como me lembro!! Lembro-me como se fosse ontem.
Como éramos pequeninos!!
Nunca poderia imaginar que te ia reencontrar no mesmo sítio, com a mesma cara, a mesma cor!
E que cor, que prazer me dás!
Do meu toque em ti, com um misto de ansiedade e desejo, de nervoso e medo!
Como suei antes de te tocar! Mas quando toquei...quando te toquei!!
Tornámo-nos um, tornámo-nos pais de sereias, mergulhamos agarrados até aos corais.

Acho que foi em apnéia, até aos 15o metros? Lembras-te?

E depois a vinda à tona, sempre agarrados, de dedos entrelaçados, num beijo único.
Nunca estive tão bem sem respirar, nunca me senti tão bem sem ar, com os pulmões vazios mas de coração cheio! Adoro o teu cheiro, o teu sabor, a tua textura!
Só tu quando me tocas, me tocas por inteiro. Não há fio meu de cabelo ou pestana, não há um póro ou uma unha que não te sinta!

Lembras-te do primeiro dia?




"Não, nunca me lembro."

Última estação.

Hoje estou aborrecida, deve ter sido por causa das notícias de ontem.
Realmente o raio do notíciario tem tido alguma influência no meu estado de espírito.
Tenho bom remédio, deixo de o ver!

Há duas notícias que estão de certo modo, a dar-me uma daquelas urticarias provocadas por Alforrecas, e não há mijo que me cure.

1ª - Liedson quer jogar por Portugal.
Se por acaso esse gajo tem a ousadia de vestir a minha camisola, eu juro que começo a apoiar a Espanha! Recuso-me a ter brasileiros na Selecção Nacional.
Já diz ele: "Ai o vermelho me fica bem!".
Pois...essa cor fica bem aos "morenos"! Mas não...Já chega!
É o Deco, o Pépe, e o raio que a parta. Já não se aguenta tanto brasileiro.
Estão nos cafés, nos restaurantes, nos cabeleireiros, no metro, nas obras...é em todo o lado. Agora na Selecção é que não...ou já não se viu que os melhores jogadores do mundo são portugueses? É preciso mais o quê? Mais uma bota de ouro? Um CR7?
No estado em que estamos e com este andamento, no mundial de 2010 a nossa Selecção é:
O Jefreson, Wanderley, Douglas, Roberto, Ronaldo, Péréré, Dudu, Jilson, Léo e por ai fora! E já agora o equipamento passa de encarnardo e verde, para verde e amarelo com uma risca no meio a dizer "Deus é grande"!!!
Please, give me a break...

2ª- Alguns prisioneiros de Guantanamo podem vir para Portugal.
Só podem estar a gozar!!!!!!!!! Perderam o tino de vez! Mas tu queres ver que estes idiotas ainda não perceberam que é o contribuinte que paga a pildra a estes cretinos??? E terroristas! Daqueles que metem uma bomba entre as pernas e atiram-se para a frente! Onde é que os querem meter? Bem se for aqui na Prisão do Linho eu mudo de casa. Recuso me a estar a menos de 10 kms destes suicidas! É que é preciso ter lata...o Barack fica todo lindinho nas fotos, porque acaba com Guantanamo, mas e depois? Para onde é que essa gente vai?
Portugal, está claro!
Ou não fosse esta terra a última estação (tipo Cascais)...Toca a sair!!!

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Procuro trabalho o mais longe possível!!

Chegada a fase da vida em que não f*** nem sai de cima, a minha questão é:

Ca raio é que eu ainda estou aqui a fazer??

Nada! Óbvio.
Dada a situação, o meu objectivo agora é pesquisar, falar, perguntar e até implorar por qualquer serviço onde quer que seja. Visto que sou uma desbocada em relação aos meus projectos, porque gosto de uma segunda opinião, contei a X pessoas o que me vinha na alma, e heis senão quando:

-"Também vou!"
-"Também vais para onde?"
-"Também vou para onde fores. O que vires para ti, vês para mim!"
-"Está bem, mas eu estou a falar a sério. Vou e vou mesmo. Vou descascar batatas para o Sri Lanka, lavar pratos para Moçambique, servir à mesa para a China, vou para onde for e fazer o que for!"
-"Está bem, até nadadora salvadora eu sou na Austrália se for preciso, agora é mesmo para ir!"
-"Aí, isso tenho medo dos tubarões, aí não ponho o meu rico pezinho!"
-"É uma maneira de dizer..."
-"Sim eu percebi. Mas e olha este que encontrei...México, servir à mesa!"
-"México? Mas lá há tráfico de mulheres!"
-"Que se lixe, na inscrição dizemos que somos hermafroditas. A malta não gosta de cenas freaks!"
-"Mas eu tenho medo...olha que há mesmo tráfico de mulheres!"
-"Oh que coisa, se eu for a pensar nisso não saio de casa, e a minha ideia é pirar-me daqui o quanto antes! Aqui não se passa nada..."
-"Está bem mas temos de ver com cuidado, eu só preciso de passar pelo México para dar um abraço quente à minha mummy!"
-"Mas a tua mãe não foi hoje para lá?"
-"Foi, mas tenho saudades da minha mummy!"
-"Mas tu ouve lá...Tu queres ir para fora por 6 meses no mínimo...tu aguentas sem a "mummy"?"
-"Aguento, mas quero ir lá só dar um abracinho!"
-" Ao México? Abracinho à tua mãe?...tráfico de mulheres..."

domingo, 25 de janeiro de 2009

The good die young.

http://www.youtube.com/watch?v=v3DXyfL3HX0&feature=related



Recebe-o em Teus braços como a um filho, olha por ele, leva o a mergulhar no teu mar e a sentir a verdadeira água salgada.
Ensina lhe as novas regras da tua casa, educa-o como se fosse o seu primeiro dia de escola...

Começa pelo Z, faz ao contrário!

Diz-lhe como apertar os atacadores em oito, só com o olhar.
Ensina-lhe a regra dos três simples, o teorema de Pitágoras, as pinturas de Miguel Ângelo e Leonardo, ensina-lhe a astrologia, a astronomia, geologia, matemática, geometria, as ciências, a medicina, ensina-o a fazer arroz doce.
Diz-lhe como é fácil saltar a corda, como é giro o salto em queda livre, como se planta uma árvore!

Uma macieira, é essa a Tua árvore não é?

Ensina-0 a cantar, a ouvir cantar os outros, diz-lhe como olhar para o horizonte e proteger os seus, ver os seus, amar os seus.

E...

Ama-o, ama-o mais agora do que quando estava vivo!

sábado, 24 de janeiro de 2009

Tradução

Hoje é dia de futebol, liga estrangeira e não só, que a minha mãe adora ver!
O melhor disto tudo é que a senhora acha que percebe alguma coisa de bola, então tem o condão de inventar nomes:

Canavarro - é o Cristiano Ronaldo
Dolcevich - Vukcevich
Leonardo - Ronaldinho Gaúcho
Mouzinho- João Moutinho
Vilela- Miguel Veloso

Etc....

E melhor ainda são os comentários de quem realmente sabe:

-"Aí que estupor, não acerta na baliza!!"
-"Mãe, aquele era o defesa...era suposto não atirar à sua própria baliza!"
-"Ahh está bem, mas então qual destes é que é o Sporting!"
-"Verdes mãe...verdes!"
-"Pois...não jogam nada, os outros estão melhor, achei que até era o Sporting!"

Bem...vamos à segunda parte!

Finding Never Land

Falei com borboletas, tive grandes aventuras psicológicas com cavalos de raça Lusa, corri ao lado de sapos e cangurus. Muito dancei com fadas, uma delas era a Sininho, vestida de cor-de-rosa.
Ouvi grandes palestras dadas por corujas e cobras, tanto me ensinaram. Os coelhos, esses, faziam questão de me guiar, de desbravarem terreno fértil, como se de missionarios se tratassem!
As tartarugas chegavam dos 0 aos 100 kms em 15 segundos, a Dalila progénita pediu me segredo e em troca dava-me boleia até Pax Tien, terra longínqua, mas de um verde garrafa inimaginável e por onde queria passar para convencer as aves a juntarem-se a nós!
Os ratos, como eram tantos e brincalhões, um deles destacava-se pela sua rebeldia e liderança, se eu o conquistasse, todos os outros se seguiam. Não foi difícil, o Kilahua era amoroso, de uma inteligência nunca vista. Parece-me que foi o único que ainda contrapôs umas explicações da coruja e da cobra.

Como és esperto!!!

Foram 100 meses de viagem até Pax Tien, como combinado a Dalila Progénita não me deixou tocar com os pés descalços, tanto no chão, como na água... e eu mantive o segredo!

Qual segredo?

Assim que chegamos, dirigi-me ao Falcão Real , senhor e dono desse verde garrafa,verde que quase me cegava, Hinya era imponente, com olhos vermelhos, quase como o diabo, rijo como as trevas, mas doce, muito doce...também ele possuía o mel das abelhas, o polen do jardim do Éden, as pistas do labirinto do Minotauro, assim como a corda que enforcou o "Two fingers".
Hinya, é possuidor da história, da ciência, da matemática, do amor...de tudo o que não saibas.

Era óbvio que todos queríamos passar por Pax Tien, pelo verde garrafa e pela biblioteca!
Pelas aves e frutas, pela música, essa orquestra de bater de asas, de concurso de quem canta mais alto...Como gosto de Pax Tien.

Olha e o segredo? Conta-me o segredo!!


(Trimmmm...trimmmmm.....trimmmmm)

-"11h....hummm, wellcome back to real life! toca a levantar!"

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Qué estúpido...

Pronto...não dá para estar calada, não consigo e também não me apetece!

Só se fala na crise. Crise aqui, na China, no raio que o parta.
É um mal geral, já se sabe!!
Toca a todos como o vírus da gripe.
Como se tudo isto não chegasse, vem um senhor dizer para não levarmos a crise a sério!
Está bem...lá no sítio onde ele trabalha, que nem é trabalho, é outra coisa qualquer, deve ser o único sítio onde a crise não chega!

Obrigada...

Onde é que as pessoas vão pedir forças quando já nada lhes resta?
Igreja, isso, muito bem...
O que se pede na igreja??
Guito, maravilhoso!
Quem é que fica a ganhar com a crise??
A Igreja, à pala dos donativos do idiota que acredita na crise, e foi despedido no dia anterior! Mas só porque é estúpido, porque senão não tinha sido despedido...é estúpido e pronto!

Quem raio é que ainda ouve um homem, que pela 2ª semana consecutiva, consegue dizer mais barbaridades que o Sócrates num ano inteiro!?

Não é possível que o senhor não seja informado que a crise existe e é real!!
É verdade que não se tem de estar constantemente a falar dela, mas daí a chamar-nos a todos de atrasados mentais...

Choro a rir!

Não sei se é de conhecimento publico ou não, mas eu trabalho numa oficina de bate chapa e pintura automóvel...óbvio que isto é um mundo de peças de carros, óleo, cheiro a gasolina e fumo de tubo de escape. As vezes dou por mim, a snifar dióxido de carbono directamente do tubo:

-"Olha...poupo nos cigarros!"

Depois há os personagens que por aqui passam, um deles, de quem gosto muito e sempre que o vejo digo:

-"Henaaaa, que saudades..."

Seu nome, Sr. Cebola, daí dizer que choro a rir, as cebolas têm esse efeito nas pessoas, composições, nada de grave:

-"Hennnaa que saudades Sr. Cebola, que agradável surpresa!"
-"Tá com saudades? Eu não a percebo, está cada vez mais bonita...nem aqui nesta javardeira de coisa, você perde a candura!"
-"Ai..vá diga lá, o que é que me quer! Os elogios não são de graça, chute..."
-"É verdade, está com uma bela corsinha, esteve no solário?"
-"Solário? então não vê que a chuva também queima, e o frio. Isto é de andar de mota! O vento frita me a pele!"
-"Aí é?"
-"É...vá, diga lá Sr. Cebolinha, a que devo a visita?"
-"Então olhe, tem de me desenrascar ali um carro! Se não homem mata-me!"
-"Desenrascar como?"
-"Preciso que me pinte ali 4 peças até as 5 da tarde..."
-"Endoideceu, até as 5, impossível...isto não é o forno do pão!"
-"Vá lá, que você está tão bonita!"
-"Isso não vale!! Compra-me fácil, fácil!"

A minha familia é esta cidade.

Fazes parte de mim, o meu sangue é o teu.

Deixas-me caminhar sobre ti, ofereces-me noites, desbravas-me caminhos, abraças me como um irmão, consolas-me como amigo, onde a tua luz me aquece como se de uma mãe te tratasses.
Desço ruas sempre com os olhos postos em ti, e os teus em mim, nunca sozinha, nunca desprotegida.
Agarras-me pela meu como o meu pai, aconselhas-me como irmã e amas-me como se fosse única, apenas tua e só tua.
Guardas histórias, ruínas, colinas, tradição, música, de tudo me enriqueces, de tudo guardas para me contares à noitinha quando me adormeces, criando epopeias e divagando no tempo e no espaço.
Volto sempre para me aconchegar no teu cheiro.

E que cheiro bom tens tu!





quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Noticias de hoje II

-"Marrocos- vendedores de rua faziam "hot dogs" com carne de cão"
-Pois aí está um Hot Dog no verdadeiro sentido da palavra... acho que hoje não lancho!

-"Amy Winehouse salva mulher de afogamento!"
-Está bem! Imagino como terá sido! "Arreee youuu okeyyyeeeee?"

-"Polícia faz rusgas ao escritório do tio de Sócrates."
-Hihihihihiihihihiihi...


Bicho em mim!

"Hiberno, passo a estação invernosa, quero acordar com o sol a bater-me na cara!"

Tenho-o adormecido, completamente parado em modo desajeitado, mas com jeitinho, o jeitinho que é so dele.
Hoje não me fazes rir, vou ficar parada, sentada, a olhar para o ontem, não falo, não te olho, não respondo e não penso.
Nem o teu toque me interessa, o que me dizes de nada me soa, de nada me convense e muito menos me move ideias e ideais.

Hoje sou minha e só minha!

Continua a dormir...


quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Bricolage

Há coisas que não entendo...
Como pendurar um simples candeeiro na parede ou no tecto, a mim não me parece grande epopeia, mais furo menos furo...

-"Titi o candeeiro funciona na perfeição!"
-"Boa, ainda bem!"
-"Obrigada"
-"De nada. Há quanto é que o tinhas guardado?"
-"Não sei, 2 meses por ai!"
-"QUÊ?? Porque é que não o penduraste logo?"
-"Olha porque tinha de pagar a um electricista para cá vir, e duvido que ele viesse só para me espetar com o candeeiro no tecto!"
-"Tu estas a gozar? É pôr os fios e pronto. Desligas é o quadro de electricidade para não apanhares um choque, senão vais a tremer daqui até à China, tipo furadora de alcatrão..."
-"Estás a ver! A esta hora era gelatina... se tivesse mexido nisso, eu sei lá essas coisas!"
-"Bem, obtusa, também agora já está!"
-"Titi??"
-"Humm!!"
-"Tenho mais 2 espelhos, 2 quadros e um candeeiro para me pendurares!"
-"..............................."

Nós por cá.

Como fomos grandes,
De gestos e epopeias,
Na história de antes,
No sangue e nas veias.

Que brasão enérgico de ideias,
Que sabor intenso a mar,
Nos olhos gastos de viajar,
Pés desprovidos de meias.

Fomos reis e senhores,
Em terra nobre de fidalguia,
Desbravamos o mundo e amores,
Conquistamos da América à India.

Esse chá que te aquece,
Sabor que não se esquece,
Sensação de toque em pele,
Ele na tua, tu na dele.

Um sonho prá frentex!

Como é sabido, até porque é impossível não saber à pala da injecção que tem sido, a tão aguardada tomada de posse de Barack Obama acontece hoje.
E como ontem deve ter sido provavelmente a última coisa que ouvi antes de ir dormir, entrou-se-me pelo sonho a dentro essa figura que já é mítica.
Com uma pequena diferença:

No meu sonho a presidente era eu!

Quem mais, se o sonho é meu sou eu que mando. Tanto que o próprio do Barack me estava a servir um chazinho!

-"Aqui tem o seu chá senhora presidente!"
-"Muito obrigadíssima!"


Esta claro, depois acordei...

Gosto e pronto.

Será possível amar dois ao mesmo tempo? Dois não, três! Amar o recente, amar o de ontem, amar as recordações do de anteontem.
Ter espaço para amar três...
O que será que faz de mim?

Amo o de hoje.
Amo tão forte que quase choro só de pensar que tenho de esperar para o ver.
Amo o de ontem.
Amo todas as recordações de uma relação que teve tanto de intensa como de curta.
Amo o de anteontem.
Amo apenas porque hoje o conheço melhor.

Mas a verdade é que os amo, aos três, e se mais houvesse mais amaria!




http://www.youtube.com/watch?v=yLGGnR8J7Qo

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Amigas à séria...

Quando menos esperamos, ouvimos palavras lindas...

-"As tuas desgraças alegram-me..."






(o próximo candeeiro penduras tu!)